Exportações de diesel da China podem cair no novo mandato de transporte de 2023, dizem comerciantes

Por: Abudo Omar
Data: 15/11/ 2022
Visualizações: 144


Navio de carregamento de combustível (sweetcrudereports)

As refinarias estatais chinesas podem cortar as exportações de diesel para manter uma parcela maior da sua produção para os mercados domésticos no início de 2023, já que um novo mandato de Pequim pode interromper o fornecimento local, disseram várias fontes do sector.

Uma regra anunciada na semana passada pelo Ministério de Gerenciamento de Emergências da China introduz um novo requisito, a partir de 1 de Janeiro, para que todos os varejistas de combustível solicitem uma licença de mercadorias perigosas ao transportar diesel.

Isso pode aumentar os custos de transporte, desencadear a consolidação entre varejistas privados que lutam para obter a nova licença e atrapalhar a distribuição doméstica, disseram traders.

“Toda a cadeia de suprimentos será afectada e os distribuidores que lidam apenas com diesel, e nenhum outro produto perigoso, precisarão se esforçar e solicitar essa licença agora”, disse uma fonte de refino estatal chinesa.

Um segundo funcionário estatal de refino de outra empresa disse que os custos extras podem aumentar os preços no varejo doméstico, dando às refinarias estatais mais incentivos para vender combustível localmente em vez de exportar.

As fontes não quiseram ser identificadas porque não estavam autorizadas a falar com a mídia.

A China, a refinaria número dois do mundo, aumentou as exportações de diesel desde Setembro, aliviando o aperto no fornecimento global antes das sanções da União Europeia sobre produtos petrolíferos russos marítimos entrarem em vigor em 5 de Fevereiro.

Apesar da China emitir um grande lote de novas cotas de exportação, a segurança energética ainda é fundamental e cobrir a demanda doméstica é a prioridade das refinarias estatais, disse Jane Xie, analista sênior de petróleo da Kpler.

Fonte: Sweet crude reports


Notícias Destacadas

Notícias Recentes