• Entrar / Cadastrar
blog entry

Já arrancou a construção da fábrica de liquefação de gás da Área-1

Presidente da República, Filipe Nyusi, lança, hoje, no distrito de Palma, província de Cabo Delgado, no norte de Moçambique a Primeira Pedra do Projecto Mozambique LNG-Gás Natural Liquefeito de um consórcio liderado pela multinacional norte-americana Anadarko, segundo escreve a Agência de informação AIM.

O projecto fica localizado na área onde a Anadarko e seus parceiros descobriram aproximadamente 75 triliões de pés cúbicos (tcf) de gás natural recuperáveis na Área Offshore 1, bacia do Rovuma.

As projecções da Anadarko indicam que o início da exportação de gás natural deverá ocorrer nos finais de 2014 ou início de 2025.

O presidente Nyusi aproveitará a deslocação a Cabo Delgado para também inaugurar a vila de reassentamento de Afungi, bem como do troço que ligará a Estrada Nacional R762 Mocímboa da Praia e Palma à Zona Industrial do Projecto.

O plano de desenvolvimento do projecto prevê duas linhas de liquefacção, instaladas em terra, e com capacidade anual de produção de 12 milhões de toneladas de Gás Natural Liquefeito (GNL). O projecto prevê ainda o desenvolvimento de uma linha de abastecimento de gás doméstico.

O investimento irá facilitar o desenvolvimento da indústria petroquímica no país.

Recentemente, o governo moçambicano e os parceiros da Área 1, liderados pela multinacional norte-americana, Anadarko, rubricaram, em Maputo, a decisão final de investimentos do projecto de Gás Natural Liquefeito da bacia do Rovuma.

Trata-se de um Investimento na ordem de 25 mil milhões de dólares americanos a serem financiados em 14 mil milhões de dólares por fundos bancários, e em 11 mil milhões de dólares por capitais próprios dos accionistas da concessão.

A Anadarko Moçambique Área 1 Lda., uma subsidiária integral da Anadarko Petroleum Corporation, é a operadora da Área 1 Offshore com uma participação de 26,5 por cento. O co – empreendimento inclui a ENH Rovuma Área Um, S.A. (15 por cento), Mitsui E&P Mozambique Area1 Ltd. (20 por cento), ONGC Videsh Ltd. (10 por cento), Beas Rovuma Energy Mozambique Limited (10 por cento), BPRL Ventures Mozambique B.V. (10 por cento) e PTTEP Mozambique Area 1 Limited (8,5 por cento).

Fonte: Macauhub

 

RELACIONADAS

Comentários

RECENTES