• Entrar / Cadastrar
blog entry

EDM negoceia mais megawatts com a HCB

A Empresa Electricidade de Moçambique (EDM) está a negociar a aquisição adicional de energia da Hidroeléctrica de Cahora Bassa (HCB) para incrementar a disponibilidade do recurso no mercado doméstico e possível venda para o exterior.

A expectativa é que a HCB aumente em 150 megawatts de energia não firme (que depende do ciclo hidrológico ou da ocorrência de seca, por exemplo) subindo, assim, os níveis de capacidade de fornecimento da EDM ao público. A informação foi avançada recentemente, na vila do Songo, província de Tete, pelo presidente do Conselho de Administração da empresa pública EDM, Marcelino Gildo Alberto, durante uma visita de trabalho à Hidroeléctrica de Cahora Bassa.

Segundo Marcelino Gildo Alberto, neste momento a HCB fomece à Electricidade de Moçambique 300 megawatts de energia firme (produzida mesmo num período crítico) e 200 não firme.

“A HCB é o nosso fornecedor de primeira linha de energia, por isso, viemos conversar para ver se nos garantem a provisão de mais 150 megawatts. As conversas foram boas e as duas empresas irão aprofundar a análise da proposta”, disse.

Marcelino Gildo Alberto destacou, igualmente, a importância das relações comerciais entre a sua empresa e a HCB, afirmando que, sem a hidroeléctrica, a EDM não poderia investir nas suas próprias operações e honrar as suas obrigações financeiras.

A Cahora Bassa é a principal fonte de geração de electricidade em Moçambique, com uma capacidade instalada de 2.075 megawatts, dos quais 1.500 megawatts estão comprometidos para com a ESKOM, na África do Sul, através de acordo de longo prazo.

Da sua produção, 500 megawatts são destinados ao consumo do mercado doméstico divididos em 300 MW e 200 MW entre a energia firme e não firme.

Fonte: Jornal Notícias

RELACIONADAS

Comentários

RECENTES