Wintershall Dea define meta de net-zero para operações upstream em 2030

Por: Abudo Omar
Data: 23/11/ 2020
Visualizações: 375


A produtora alemã de petróleo e gás Wintershall Dea tem como objectivo atingir emissões líquidas zero das actividades upstream até 2030, num movimento para abordar a questão das mudanças climáticas.

A empresa pretende atingir essa meta por meio de uma combinação de energia renovável e de baixo carbono.

Além de fornecer gás natural com baixo teor de carbono, Wintershall Dea agora definiu metas de redução de emissões de gases de efeito estufa (GEE) para actividades de produção compreendendo emissões de escopo um e dois, bem como actividades upstream operadas e não operadas em "base de participação accionária".

No ano passado, as actividades operacionais da empresa geraram aproximadamente 2,5 milhões de toneladas métricas de equivalentes de dióxido de carbono em todo o mundo.

O CEO da Wintershall Dea, Mario Mehren, disse: “Para empresas de E&P, não pode ser apenas business as usual. O futuro da energia é de baixo carbono.”

Como principal empresa independente de gás e petróleo da Europa, Wintershall Dea apóia a meta da UE de atingir a neutralidade de carbono até 2050.

Mehren acrescenta: “As quantidades de CO2 libertadas em nossas actividades são pequenas em comparação com as emissões de CO2 produzidas pela combustão de petróleo e gás. Mas reduzir as emissões que surgem directamente das nossas operações para zero líquido é uma contribuição que podemos e queremos dar.”

Nos próximos dez anos, Wintershall Dea planea investir cerca de € 400 milhões (US $ 475 milhões) na redução das emissões de GEE.

Também apóia o objectivo da UE de ser neutro em carbono até 2050 e visa reduzir a sua intensidade de metano corporativa para 0,1% até 2025.

Mehren acrescentou ainda: “Identificamos as áreas tecnológicas onde os nossos activos e competências podem ajudar a contribuir para a redução de emissões. Estes incluem em particular CCS e hidrogênio.

“Por exemplo, além de uma parceria de pesquisa de pirólise de metano com o Instituto de Tecnologia de Karlsruhe, temos acesso a vários campos esgotados no sul do Mar do Norte e a infra-estrutura de dutos significativa na Europa que pode ser usada para CCS e transporte de hidrogênio, respectivamente.”

No início deste mês, o produtor de petróleo norueguês Equinor anunciou a sua ambição de atingir emissões líquidas zero até 2050 como parte dos seus planos para se tornar uma "ampla empresa de energia".

Em Maio, a gigante petrolífera francesa Total se tornou o terceiro dos "Seis Grandes" produtores a fazer uma promessa de emissões líquidas zero.

Fonte: Offshore Technology

Fonte:


Notícias Destacadas

Notícias Recentes