Presidente Nyusi jura restaurar a paz em Cabo Delgado

Por: Abudo Omar
Data: 21/04/ 2021
Visualizações: 57


Mapa do projecto da Total (oedigital)

O presidente de Moçambique, Filipe Nyusi, disse na quarta-feira que o governo vai trabalhar para restaurar a paz no país depois de um ataque mortal no mês passado perto dos projectos de gás de biliões de dólares apoiados por empresas globais de petróleo.

"Vamos envidar todos os esforços para devolver a paz ao nosso país, em particular no norte, em Cabo Delgado que nos últimos anos tem sido alvo de ataques terroristas”, disse durante discurso ao Ministério das Minas, Energia e Petróleo e Gás em Maputo.

Militantes atacaram a cidade costeira de Palma em 24 de Março, num distrito próximo a projectos de gás natural liquefeito (GNL) que visam transformar a economia de Moçambique. O exército conseguiu proteger a cidade quase duas semanas depois.

A francesa Total cancelou a planeada retomada da construção do seu projecto de US $ 20 biliões devido à violência. Não está claro quando a construção do projecto será retomada.

A Exxon ainda não deu a aprovação final para seu projecto Rovuma LNG. O maior do petróleo dos EUA atrasou a sua decisão final de investimento no ano passado devido à pandemia da COVID-19 e ao choque de preços que se seguiu nos mercados de petróleo e gás, à medida que a demanda caiu.

As apostas são altas para Moçambique. Nyusi disse que a paz é uma "condição fundamental" para o desenvolvimento dos projectos e apelou a todos os interessados ​​para que superem esta crise.

Nyusi disse que o governo prevê "benefícios directos" de mais de US $ 100 biliões de dólares com os projectos de gás, o que diversificará a base de renda do estado e permitirá o reinvestimento em outros sectores.

Os projectos devem gerar 70 mil empregos formais em 20 anos a partir de 2022, acrescentou.

Fonte: Offshore Engineer


Notícias Destacadas

Notícias Recentes