Indonésia apreende petroleiro carregado com petróleo bruto cambojano 'roubado'

Por: Abudo Omar
Data: 27/08/ 2021
Visualizações: 88


MT Strovolos (oedigital)

A marinha da Indonésia está a se preparar para acusar o capitão de um navio acusado de carregar petróleo ilegalmente no Camboja e ancorar em águas indonésias sem permissão, de acordo com as autoridades locais e o proprietário do navio.

O petroleiro MT Strovolos, com bandeira das Bahamas, foi detido em águas próximas às ilhas Anambas, na Indonésia, em 27 de Julho, informou a Marinha indonésia num comunicado. A parada ocorreu após um aviso vermelho emitido pela embaixada do Camboja em 24 de Julho, que pedia às autoridades indonésias que fizessem uma prisão sob suspeita de roubo de cerca de 300.000 barris de petróleo bruto cambojano, disse a Marinha.

A embarcação foi levada para Batam para quarentena no dia 30 de Julho.

O capitão do navio, um bangladeshiano, foi nomeado suspeito por ancorar sem permissão em águas territoriais indonésias, disse a Marinha, acrescentando que estava trabalhando com promotores locais no caso.

A World Tankers Management, operadora do MT Strovolos, confirmou a detenção do petroleiro e da tripulação.

"Lamentamos informar que alguns membros da tripulação foram detidos em terra pelas autoridades indonésias e permanecem detidos enquanto o restante da tripulação está preso a bordo do navio, incapazes de desembarcar", disse a empresa num comunicado divulgado na noite de quarta-feira.

A World Tankers negou as alegações de que o petróleo havia sido carregado ilegalmente e que o navio não tinha permissão para ancorar em águas indonésias.

MT Strovolos carregou cerca de 300.000 barris de petróleo bruto no campo de Apsara no Golfo da Tailândia em 21 de Maio com base no entendimento de que a carga pertencia ao afretador Kris Energy (Apsara) Company Ltd, disse a empresa.

No entanto, o afretador não pagou e encerrou o serviço quando o navio parou na Tailândia para troca de tripulação e reabastecimento, mas não teve sucesso, disse a World Tankers.

Posteriormente, MT Strovolos navegou para Batam, Indonésia, para fazer uma troca de tripulação, mas foi detido pelas autoridades locais, disse a empresa.

O campo Apsara é operado pela KrisEnergy (KRIS.SI), listada em Singapura, que disse em 4 de Junho que era "incapaz de pagar as suas dívidas com base em passivos reais e / ou contingentes e irá proceder à liquidação".

A KrisEnergy tem uma participação de 95% no campo, enquanto o governo cambojano detém os 5% restantes.

As autoridades cambojanas não foram encontradas para comentar o assunto. A marinha tailandesa, a Kris Energy e o seu liquidante não responderam imediatamente aos pedidos de comentários.

Fonte: Offshore Engineer


Notícias Destacadas

Notícias Recentes