Eni compartilha importante actualização de recursos para o campo Ndungu Offshore Angola

Por: Abudo Omar
Data: 29/03/ 2022
Visualizações: 316


FPSO Ngoma (oedigital)

A petrolífera italiana Eni anunciou na segunda-feira "uma grande actualização" da base de recursos no campo de Ndungu, localizado a cerca de 130 km da costa de Angola e a cerca de 10 km do FPSO Ngoma no Polo Oeste do bloco 15/06.

A Eni disse que perfurou o poço de avaliação Ndungu 2 perfurado a 5 km de Ndungu 1 e atingiu 40 m de net oil pay (35°API) nos reservatórios do Oligoceno Inferior com boas propriedades petrofísicas confirmando a comunicação hidráulica com o poço descobridor. Uma aquisição intensiva de dados foi realizada para avaliar todo o potencial da descoberta, disse a empresa.

"Os dados preliminares recolhidos em Ndungu 2 permitem aumentar para 800 – 1000 milhões de barris de petróleo equivalente in place os recursos do campo a partir das estimativas iniciais de 250-300 (pós Ndungu 1), tornando Ndungu, juntamente com Agogo, a maior acumulação descoberta no Bloco 15/06 desde a premiação do bloco," disse a Eni.

A fase inicial de produção de Ndungu começou já em Fevereiro passado através de um poço produtor, e um segundo poço produtor está previsto para o quarto trimestre 2022, maximizando a utilização das instalações existentes no Pólo Oeste. Paralelamente, a avaliação durante a produção continuará, para optimizar os retornos e minimizar os riscos.

"O desenvolvimento do campo de Ndungu será agora melhorado graças a este aumento significativo da base de recursos, seguindo uma abordagem faseada para explorar o potencial global de uma forma óptima do ponto de vista financeiro, contribuindo inicialmente para alargar e aumentar o planalto do Ngoma, um 100 kbopd zero FPSO de descarga e queima de processo zero," disse a Eni.

O Bloco 15/06 é operado pela Eni Angola com uma quota de 36,84%. A Sonangol Pesquisa e Produção (36,84%) e a SSI Fifteen Limited (26,32%) compõem o restante da Joint Venture. Além do Bloco 15/06, a Eni é operadora dos blocos exploratórios Cabinda Norte, Cabinda Centro, 14/1 e 28, bem como do New Gas Consortium (NGC).

"Este resultado também mostra como a Azule Energy, a recém-anunciada joint venture independente que combina os portfólios da Eni e da bp no país, pode contar com um sólido pipeline de novos projectos a iniciar nos próximos anos, incluindo Agogo, Ndungu e PAJ oil projectos nos Blocos 15/06 e 31, respectivamente, bem como os projectos de gás NGC," disse a Eni.

 

Fonte: Offshore Engineer


Notícias Destacadas

Notícias Recentes