Moçambique vai exportar electricidade para o Botswana

Por: Abudo Omar
Data: 19/04/ 2022
Visualizações: 303


Linhas de energia (clubofmozambique)

A empresa pública de electricidade de Moçambique, EDM, vai fornecer 100 megawatts de energia não firme ao Botswana, ao abrigo de um contrato, válido por um ano, assinado na quinta-feira entre a EDM e a Botswana Power Corporation (BPC).

A capacidade acordada ao abrigo do Acordo de Compra de Energia (PPA) procura ajudar a satisfazer a crescente procura de electricidade no Botswana. Mas o fornecimento de energia pela EDM estará sujeito a um pedido do BPC, e à disponibilização de energia excedentária da rede moçambicana.

Na cerimónia de assinatura em Gaborone, o presidente da EDM, Marcelino Alberto, salientou as novas oportunidades para o mercado energético da SADC (Comunidade de Desenvolvimento da África Austral), que serão criadas quando a nova central a gás de Temane, província de Inhambane, começar a funcionar.

O Presidente Filipe Nyusi lançou em Março a primeira pedra para a construção desta central. A central de ciclo combinado de Temane, alimentada a gás natural moçambicano, vai gerar 450 megawatts, tornando-se a maior nova fonte de electricidade em Moçambique desde a independência em 1975.

A electricidade alimentará o mercado energético moçambicano e o excedente será exportado. A estratégia da EDM é gerar divisas para o país através da exportação de energia eléctrica e consolidar a posição de Moçambique como pólo regional de geração de energia.

Esta não é a primeira vez que a EDM exporta electricidade para o Botswana. Fê-lo entre 2003 e meados de 2017. E em Abril de 2019, exportou 70 megawatts para Gaborone por um período de cinco meses.

Ao abrigo de um segundo acordo assinado durante a visita de Estado ao Botswana do Presidente Filipe Nyusi, Moçambique vai importar anualmente do Botswana dois milhões de doses de vacina contra a febre aftosa.

Este acordo prevê ainda o melhoramento genético do gado moçambicano através da inseminação artificial e a formação de quadros moçambicanos nas universidades do Botswana nas áreas de produção pecuária e inspecção de carne.

“Esta cooperação poderá aumentar a produção e produtividade nos dois países, e responder às exigências do mercado”. disse o vice-ministro da Agricultura moçambicano, Olegário Banze, à Rádio Moçambique

Banze disse que os hábitos alimentares urbanos “exigem cada vez mais proteína animal”.

Fonte: Club of Mozambique


Notícias Destacadas

Notícias Recentes